X
Acesso aos Serviços

Notícias / Crea-BA

Notícias

Inovações em energia e segurança pública vencem Arlindo Fragoso

Esse ano os participantes, estudantes do ensino superior e técnico vinculados os sistema Confea/Crea na Bahia deveriam apresentar soluções sustentáveis para as de energia, saneamento básico, construção civil, segurança pública, mobilidade urbana, produção agrícola, produção mineral, petróleo e gás natural.

04/12/2017

Emoção e muitos planos para empreender no futuro, esses foram os principais sentimentos dos integrantes das equipes que venceram a terceira edição do Prêmio Arlindo Fragoso, que aconteceu na última sexta-feira (1) no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia. Os campeões da vez foram um quiosque interativo à base de energia solar que permite a recarga de celular gratuitamente e um alarme inteligente conectado ao smartphone do proprietário do veículo, do IFBA de Paulo Afonso e Ufba, respectivamente.

A edição de 2017 contou com um espectro ainda maior de expectativa do que as anteriores, pois além da já conhecida modalidade que premia projetos que ainda não saíram do papel, foi criada uma segunda para premiar projetos que já estavam tentando uma colocação no mercado. Esse ano os participantes, estudantes do ensino superior e técnico vinculados os sistema Confea/Crea na Bahia deveriam apresentar soluções sustentáveis para as de energia, saneamento básico, construção civil, segurança pública, mobilidade urbana, produção agrícola, produção mineral, petróleo e gás natural.

A principal sensação que pairava sobre os ganhadores era de felicidade e esperança de desenvolver os seus projetos. “Esse prêmio permite tirar do papel as ideias, colocar o produto no mercado e ter a oportunidade de executá-lo realmente, isso é muito importante”, pontuou Victor Cavalcanti representante do projeto Alarme Proativo: Dispositivo de segurança veicular conectado ao smartphone, que conquistou o 1º lugar na Modalidade 1.

Para o criador do projeto ganhador da Modalidade 2, a Central para recarga de dispositivos eletrônicos pessoais a base de energia solar com coleta seletiva de resíduos integrada, Fabiano Almeida, as capacitações proporcionadas para o Arlindo Fragoso foram fundamentais. “Muitas vezes o financeiro importa muito para dar continuidade a execução de um projeto, mas a parte técnica que foi proporcionada pelas oficinas do Prêmio, foram muito importantes. A gente que estuda engenharia muitas vezes não possui formação na parte de administração, de empreendedorismo, com o conteúdo teórico das capacitações, eu pude preencher essas lacunas. Em termos de futuro, esse prêmio vai me ajudar a colocar um projeto desse numa praça da minha cidade, dessa forma vou conseguir mostrar meu projeto para a população e também buscar investidores”, concluiu.

Na ocasião, estavam presentes o coordenador da comissão julgadora do Arlindo Fragoso eng. mecânico Eduardo Sousa, o presidente do IPB (Instituto Politécnico da Bahia), Lenaldo Almeida; a diretora da Escola Politécnica da Ufba, Tatiana Dumet e a pró-reitora do Senai Cimatec, Tatiana Ferraz, que destaca a iniciativa como maneira de fomentar mudanças na área tecnológica no estado. “É uma alegria ver o envolvimento de diversas instituições de ensino em uma iniciativa como o Arlindo Fragoso. Prêmios como esse fazem com que o jovem se aproxime da inovação, e a aproximação da juventude dos projetos científicos e do empreendedorismo é o caminho que vai transformar a engenharia na Bahia”, concluiu.

Resultados
De acordo com o coordenador da comissão julgadora do Arlindo Fragoso e ex-conselheiro do Crea-BA, o eng. mecânico Eduardo Sousa, a qualidade de alguns projetos apresentados não é avaliada apenas para atender a critérios da comissão julgadora, e o prêmio possui bons resultados em termos de produtos que foram bem aceitos pelo mercado e conseguiram investidores. “Nos últimos dois anos nós tivemos quatro projetos que conseguiram transformar a apresentação de uma ideia em um produto de fato, alguns constituíram empresa e conseguiram captar linhas de crédito, encontrar investidores de tal modo que estão num estágio bem desenvolvido. Dois projetos oriundos da edição de 2016 estão participando de algumas oficinas com o Sebrae, e ficaram classificados em programas distintos na Semana Nacional de Tecnologia, promovida pela Secretaria de Ciência e Tecnologia. Um deles foi classificado para a edição nacional e conseguiu ficar entre os oito melhores. É o que esperamos com os projetos desse ano também”, pontuou.

Premiação
A premiação em dinheiro para a modalidade 1 foi de R$ 18 mil (R$ 10 mil, R$ 5 mil e R$ 3 mil) para os primeiros colocados. A modalidade 2 destinou R$ 27,5 mil (R$ 15 mil, R$ 7,5 mil e R$ 5 mil) para os melhores trabalhos. As equipes selecionadas na modalidade 1 participaram de oficinas promovidas pelo Sebrae para transformar ideia em um modelo de negócio e na modalidade 2 participaram das oficinas “Estratégia de Crescimento do Negócio” (oferecida pelo Sebrae) e “Propriedade Industrial” (ministrada pela Village Marcas e Patentes).

Confira abaixo o ranking dos vencedores
Modalidade 1
1º Alarme proativo: Dispositivo de segurança veicular conectado ao smartphone;
2º Aqualuz;
3º Uso de redes de Sensores sem fio para o controle de irrigação automatizada a baixo custo;

Modalidade 2
1º Central para recarga de dispositivos eletrônicos pessoais à base de energia solar com coleta seletiva de resíduos integrada;
2º STEH – Sistema Inteligente de economia hidrossanitária;
3º Análise e classificação de tumores cerebrais em imagens de ressonância magnética.

 

Paloma Silva
Ascom Crea-BA

Fonte: CREA-BA

COMPARTILHE ESTE CONTEÚDO

notícias

ver todas

revista

Revista 57

Edição 57 | 2017


outras edições