X
Acesso aos Serviços

Notícias / Geral

Notícias

Novas regras do Finame favorecem MPMEs em 2018

16/02/2018

 

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) passou a financiar até 100% do valor da compra equipamentos e máquinas adquiridas por micros, pequenas e médias empresas. Para as grandes empresas este percentual de participação da instituição no financiamento será de 80%.

A medida tem o objetivo de incentivar novos investimentos no país, principalmente em inovação.

A expectativa do banco é de que os financiamentos girem em torno de R$100 bilhões, que devem favorecer principalmente os setores de infraestrutura, saneamento, transportes e exportações.

“Contudo, as novas regras do Finame ampliam as oportunidades para outros setores também, como o elétrico, pois garantem vendas de equipamentos”, conta Fábio Amaral, diretor da Engerey, empresa que fabrica painéis elétricos para todo o país.

Segundo ele, a empresa visualiza vantagens sobretudo no segmento de infraestrutura, nas ramificações de climatização e PCHs, que são Pequenas Centrais Hidrelétricas, que aproveitarão o incentivo para expandir a sua atuação com a construção de novas unidades. “Muitas empresas têm nos procurado desde o ano passado, quando o governo federal iniciou a flexibilização das regras do Finame como a ampliação dos prazos para pagamento. Agora, com este novo incentivo esperamos um incremento ainda maior nas vendas de painéis elétricos, principalmente voltados à proteção e automação”, conta Fábio Amaral.

 Empresário Fábio Amaral, da Engerey Painéis Elétricos, está otimista com o aumento de vendas através do Finame 2018.

 O prazo para pagamento do financiamento é de até dez anos, com carência de até dois anos. O acesso a esta linha de crédito deverá ser feito pela empresa interessada diretamente com a instituição financeira credenciada pelo BNDES. “Vale lembrar que a compra de máquinas e equipamentos só poderá ser efetivada em empresas credenciadas no BNDES”, explica Amaral.

Com relação às novas taxas de juros do Finame, elas são anuais e seguirão a TLP (Taxa de Longo Prazo) que substituiu a TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) em 1º de janeiro deste ano, sendo estabelecida em 6,76% neste mês. A TLP será multiplicada pela taxa de juros do BNDES fixada em 2,1% ao ano e também pela taxa negociada diretamente no agente financeiro.

“O Finame possui uma das melhores taxas do mercado para financiamento, é um ótimo momento para investir em modernização e expansão”, afirma o diretor da Engerey.

 Quem pode participar do Finame 2018:

· Empresas sediadas no País;

· Administração Pública;

· Empresários individuais e microempreendedores;

· Produtores rurais (pessoa física residente e domiciliada no País);

· Transportadores autônomos de carga e pessoas físicas associadas a cooperativa de transporte rodoviário de cargas, ambos residentes e domiciliados no País;

· Fundações, associações, sindicatos, cooperativas, condomínios e assemelhados e clubes.

Classificação de porte da empresa:
As condições financeiras do Finame/BNDES podem variar conforme o porte da empresa:

Classificação

Receita operacional bruta anual ou renda anual

Microempresa – 100%

Menor ou igual a R$ 360 mil

Pequena empresa – 100%

Maior que R$ 360 mil e menor ou igual a R$ 4,8 milhões

Média empresa – 100%

Maior que R$ 4,8 milhões e menor ou igual a R$ 300 milhões

Grande empresa – 80%

Maior que R$ 300 milhões

 O que pode ser financiado pelo Finame:

· máquinas e equipamentos;

· sistemas industriais;

· componentes;

· bens de informática e de automação;

· ônibus, caminhões e aeronaves executivas;

· capital de giro associado, para micro, pequenas e médias empresas (até 30% do valor financiado). 

Demais dúvidas:

  www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/financiamento/produto/bndes-finame-bk-aquisicao-comercializacao 

 

Assessoria de Imprensa - Engerey

Fonte: Ascom Engerey

COMPARTILHE ESTE CONTEÚDO

notícias

ver todas

revista

Revista 61

Edicão 61 | 2018


outras edições