X
Acesso aos Serviços

Notícias / Crea-BA

Notícias

Profissionais prestigiam lançamento do projeto Futuro em Debate

Evento promovido pelo Crea tem o objetivo de recolher propostas da engenharia para o desenvolvimento do Brasil

16/05/2018




Marcado por palestras que representaram muito bem o panorama da economia do Brasil e os gargalos enfrentados pela Engenharia brasileira, o lançamento do Projeto “Futuro em Debate – Fóruns Temáticos para o Desenvolvimento do Brasil, da Engenharia e do Sistema Confea/Crea”, desenvolvido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia, atraiu na noite desta terça-feira (15), profissionais da área tecnológica, professores e diversas autoridades. O evento aconteceu no auditório do Crea.

O presidente do Crea, engenheiro civil Luís Edmundo Prado de Campos, destacou a importância da iniciativa, que foi criada para promover a reflexão, compartilhar conhecimento e possibilitar o posicionamento dos profissionais vinculados ao Sistema Confea/Crea sobre questões que impactam em suas áreas de atuação. “Todas as contribuições serão recolhidas, tanto de forma presencial como pela internet. Esperamos que haja também um envolvimento dos profissionais do interior. Essa vai ser a contribuição da  Engenharia, Agronomia, Geografia, Geologia, Meteorologia e Urbanismo para a Bahia e para o Brasil”.


Para o idealizador do evento, engenheiro eletricista e professor Fernando Alcoforado, que fez uma exposição sobre a falta de investimento na indústria brasileira e a ocupação de espaço do capital estrangeiro sob a permissividade do governo brasileiro, é necessário formar engenheiros qualificados para atender os desafios do século XXI, que estão relacionados à inteligência artificial. “Será a quarta revolução industrial e nós precisamos estar preparados para isso. A nossa dívida pública ocupa a maior parte dos recursos públicos, não sobrando quase nada para educação/inovação”.

Ele ainda abordou a necessidade de o Brasil romper com o modelo neoliberal e adotar o social democrata, o mesmo dos países escandinavos. “Lá são atendidas três condições fundamentais: atendimento às necessidades humanas básicas, o bem-estar social e a oferta de oportunidades. Sugiro que o Brasil desenvolva um modelo de salvação nacional, que recupere a economia, promova uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva e um projeto de desenvolvimento nacional com a reforma política de Estado e de Administração Pública”, complementa.

Alcoforado sugeriu ainda que o Brasil adote política de câmbio fixo, controle a entrada e saída de capitais para evitar a evasão de divisas, faça auditoria da dívida interna pública, renegocie com os credores, crie estruturas de desenvolvimento regional integrando as três esferas de governo e adote medidas de redução dos problemas ambientais.



Projeto Executivo - Conduzindo sua explanação para o lado mais técnico, o engenheiro civil e mestre em geofísica Aldo Dórea, focou nos problemas de auditoria em obras públicas. Destacou a importância em fortalecer a gestão política com mecanismos como: adoção do projeto executivo nas licitações, mediação e arbitragem, dispute board  (Comitê de Prevenção de Disputa – acompanha a obra do início ao fim, 97% dos problemas são resolvidos com a iniciativa ) e critérios de invalidade dos atos administrativos.

“É importante que haja o resgate da qualidade do projeto por meio da licitação. Nós, engenheiros, não podemos permitir que projetos mal feitos ou básicos sejam aceitos nesses processos”, reforça, citando a Lei Municipal 16.783/2018, de São Paulo, que reconhece o dispute board em contratos administrativos.

Dórea garantiu que a mediação e a arbitragem podem ser feitas pela Engenharia e citou exemplo do metrô de São Paulo que recorreu a ferramenta. “Fico muito feliz em saber que o Crea possui uma Câmara de Mediação e Arbitragem e que acredita nesta iniciativa para resolver conflitos envolvendo a engenharia”, afirmou, complementando ainda que o Futuro em Debate “era o tijolo que estava faltando para a edificação de um Brasil melhor”.



Para o mediador e vice-presidente do Crea, engenheiro agrônomo Jonas Dantas, o Futuro em Debate chega para mostrar que o Conselho está incomodado com tudo que está acontecendo no país. “São mais de 100 mil profissionais desempregados, é preciso reverter isso, sendo propositivo e proativo e esta iniciativa vai recolher contribuições para o desenvolvimento do Brasil”, coloca.

Os profissionais puderam compartilhar opiniões e esclarecer dúvidas a respeito dos temas das apresentações. “Como superar a crise atual e apontar caminhos alternativos para o desenvolvimento do Brasil” é o tema do primeiro fórum, que realizará sessões nos dias 07, 14, 21 e 28 de junho. O papel da Engenharia no desenvolvimento do Brasil; a formação do engenheiro no século XXI e o Sistema Confea/Crea do futuro são assuntos que serão discutidos em datas a serem definidas.

Saiba mais -
Os fóruns abordarão questões relacionadas à Engenharia, Agronomia, Geografia, Geologia, Meteorologia e Urbanismo, dentro do contexto político, econômico, social e ambiental. Para cada fórum, serão apresentadas propostas temáticas inscritas pelos profissionais, que serão debatidas e resultarão em um relatório consolidado que expressará a opinião dos participantes sobre o tema em discussão para encaminhamento ao Poder Público e outros agentes da sociedade envolvidos.

Os profissionais que tiverem interesse em inscrever suas propostas terão que escrevê-las até o dia 27 de maio. Acesse outras informações no site www.futuroemdebatecreaba.org.br.

Nadja Pacheco

Fonte: Ascom Crea-BA

COMPARTILHE ESTE CONTEÚDO

notícias

ver todas

revista

Revista 59

Ediçâo 59 | 2018


outras edições